Planeta América Latina - Eventos, Promoções e Novidades!

Confira os eventos, promoções e novidades em sua cidade. Aqui, no Planeta América Latina!

11 dicas para curtir Los Roques, na Venezuela

11 dicas para curtir Los Roques, na Venezuela

O pequeno arquipélago Los Roques, na Venezuela, com apenas 40 km², é grandioso em beleza. São 42 ilhotas e 300 bancos de areia cercados de águas cristalinas e muitos recifes de corais. O casal Simone Rodrigues e Ricardo Viana explorou o lugar e da dicas de como curtir esse pedacinho de paraíso no Caribe.


1. Voo de Caracas?Não há opções de voos para Los Roques de outras capitais. Você terá que sair da capital venezuelana, Caracas. O voo Caracas-Los Roques dura apenas 15 minutos. Antes de deixar o aeroporto há uma taxa de embarque local, por volta de U$ 6.


2. Aeroporto em Caracas?No aeroporto, cuidado com os cambistas. Além do assédio exagerado, infelizmente é comum o golpe de, ao fazerem câmbio com turistas, “devolverem” uma nota com algum defeito (e falsa), alegando que foi dada pelo próprio turista.


3. Aeroporto Los Roques?Ao desembarcar do avião em Gran Roque, a principal ilha, é preciso pagar uma taxa de preservação (já que a ilha faz parte do Parque Nacional). O preço é um pouco salgado: aproximadamente U$ 30. Ninguém nos avisou sobre isso em Caracas.



Aeroporto de Los Roques, na ilha Gran Roque | foto: Ricardo Viana


4. Dinheiro em Los Roques?Para maior tranquilidade, leve dinheiro para não precisar sacar lá. Afinal, há apenas um único caixa eletrônico em todo o arquipélago e, se der problema, sua viagem pode acabar.


5. Infraestrutura?As ruas são todas de areia e as casas e pousadas são simples, quase todas sem água quente. Aliás, a água é bem racionada, por já ter havido problemas de abastecimento. Na ilha, o único meio de transporte é um caminhão que recolhe o lixo.



Vila em Gran Roque, a ilha principal do arquipélago de Los Roques | foto: Ricardo Viana


6. Hospedagem?Hospedamo-nos na Pousada La Laguna, com quartos limpos, ar condicionado e bom café da manhã. Indicamos, também, a Pousada Los Corales. E, para quem estiver mais disposto a pagar por mais conforto e luxo, a Pousada Natura Viva.


7. Caminhando pela cidade?Do cais do pequeno porto, partem os passeios para as demais ilhas. Ali perto, há uma loja que aluga snorkel e nadadeiras para mergulho e um bom café-restaurante: Aquarena. À noite, é um ótimo local para tomar vinho. Cadeiras e pufs são dispostos na areia, de frente para o mar.


8. Cayo D’água?Começamos por Cayo D’água. É a ilha mais distante, com visita permitida. Até lá, é 1 hora de barco. O passeio custa U$ 30, com guarda-sol e cadeiras incluídas. Aliás, sem estes acessórios não é possível permanecer no local. O sol é intenso e não há sombra em lugar algum. A boa notícia é que, usualmente, os hotéis cedem aos seus hóspedes caixas de isopor para levar os alimentos e bebidas.



Cayo D’água. Uma das belas praias do caribe venezuelano | foto: Ricardo Viana


9. Dos Mosquises e Sarquí?Regressando de Cayo D’água para Gran Roque, paramos em mais duas ilhas: Dos Mosquises e Sarquí e Espenquí (estas duas ligadas por um banco de areia). Ambas são belas, com mar calmo de águas translúcidas e areia branca e fina.



Dos Mosquises: aqui há criação de tartarugas | foto: Ricardo Viana


10. Francisquí, a mais bela?Francisquí fica a 20 minutos de barco de Gran Roque. Na nossa opinião, a mais bela. De águas muito calmas e rasas (pode-se caminhar pelos bancos de areia), é ainda excelente para a prática do snorkeling e do windsurf.



Ilha Francisquí, a uns 20 min de barco de Gran Roque: talvez, a mais bela de Los Roques | foto: Ricardo Viana


11. Madrisquí?Antes de Francisquí, passamos por Madrisquí, a apenas 10 minutos de navegação. Ótima para banho e, também, com águas translúcidas. É ocupada pelas casas de veraneio de venezuelanos. Pelo trajeto, paga-se entre 25 e 30 BsF, ou seja, entre U$ 4 e U$ 6.



Madrisqui: águas translúcidas | foto: Ricardo Viana

 

por Simone Rodrigues e Ricardo Viana

Fonte: roteirosincriveis.uol.com.br