Cidade Solidária: parceria da Prefeitura com a APAS entra em operação e 102 supermercados da capital passam a receber doações para o programa

Os postos de coleta montados nesta quarta-feira (12/5) passam a receber alimentos, materiais de higiene e limpeza para as famílias que mais sofrem o impacto econômico da pandemia

Publicado em
Cidade Solidária: parceria da Prefeitura com a APAS entra em operação e 102 supermercados da capital passam a receber doações para o programa

São Paulo, 12 de maio de 2021 - A parceria firmada entre a Prefeitura de São Paulo e a Associação Paulista de Supermercados (APAS) ampliou, nesta quarta-feira (12/5), o número de pontos de coleta de doações para o Programa Cidade Solidária para 123. Agora o paulistano pode doar diretamente em 102 supermercados associados em diversos bairros da capital. Anteriormente, a doação podia ser feita nos 20 equipamentos de Direitos Humanos da cidade e na sede da Cruz Vermelha. O acordo inédito representa a maior operação humanitária de doação de alimentos já realizada no município, para fazer frente ao impacto social causado pela Pandemia. Veja aqui as unidades participantes.

Os mantimentos arrecadados vão compor as cestas básicas que serão enviadas para a população mais vulnerável. Desde abril de 2020, o programa Cidade Solidária já distribui mais de 2,8 milhões de cestas básicas e 1,1 milhão de kits de higiene, em todas as regiões. A quantidade de doações recebidas desde o início do programa representa apenas cerca de 10% deste total, enquanto o restante foi adquirido com recursos do município.

Cidade Solidária: parceria da Prefeitura com a APAS entra em operação e 102 supermercados da capital passam a receber doações para o programa

A Prefeitura de São Paulo lançou o Cidade Solidária com a finalidade de empreender ações coordenadas entre o poder público municipal, sociedade civil organizada e iniciativa privada para ajuda humanitária, buscando garantir a segurança alimentar e a saúde básica das populações mais vulneráveis durante a pandemia.

"O programa Cidade Solidária nasceu da soma de esforços para prover ajuda humanitária às pessoas mais atingidas pela crise causada pela pandemia do coronavírus", disse Claudia Carletto, Secretária Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC), pasta que atualmente coordena o projeto. "O reforço que a cidade recebe da APAS, oferecendo 103 pontos de coleta de doações de alimentos, nos ajuda a ampliar esse trabalho, justamente no pior momento da pandemia e diante de um processo de empobrecimento da população, sobretudo da faixa mais vulnerável. Neste contexto, é importante que toda a sociedade se engaje no programa, seja doando, ou divulgando os locais de doação.", completou.

Fundada há 50 anos, a Associação Paulista de Supermercados (APAS) é uma entidade setorial, com sede nesta Capital paulista e 3 distritais (São Paulo, Leste e Sul). A entidade tem a missão de representar e desenvolver a essencial atividade supermercadista no Estado de São Paulo para melhor atender aos anseios do consumidor, criando valor compartilhado com a sociedade. Os supermercados associados, por sua vez, têm a missão de abastecer a sociedade de forma segura e sem interrupção, em conformidade com o Decreto Federal n° 9.127 de 2017, que estabeleceu a atividade supermercadista como essencial para toda a sociedade.

"A relação das famílias com os supermercados é de muita afeição. É muito bom formar parcerias que tenham como objetivo amparar milhares de pessoas em delicado estado de vulnerabilidade social. Desta forma seguimos preenchendo nosso papel de abastecer as famílias de São Paulo, principalmente as que mais precisam de ajuda nesta crise econômica decorrente da pandemia da covid-19", disse Ronaldo dos Santos, presidente da APAS. "Acredito que a arrecadação será bastante expressiva para que o programa Cidade Solidária possa levar os mantimentos para as pessoas que mais precisam", concluiu.

O programa Cidade Solidária cadastrou 3,4 mil entidades sociais que realizam a distribuição das cestas básicas. Somente este ano foram 2000 organizações cadastradas, número 42% superior ao total de solicitações de todo o ano anterior. Todos os dias, cerca de 30 caminhões circulam por todas as regiões da cidade distribuindo as cestas básicas e kits de higiene e limpeza do projeto para as entidades, que por sua vez fazem chegar estes alimentos nas mãos de quem mais precisa.

Como doar

Nos pontos de coleta disponíveis nos supermercados a população pode depositar alimentos não perecíveis e itens de higiene e limpeza, que irão compor as cestas básicas e kits entregues às famílias mais impactadas pelos reflexos econômicos da pandemia. As empresas e cidadãos também podem fazer doações para o programa Cidade Solidária por meio do PIX utilizando a chave: [email protected]

Os equipamentos da SMDHC, assim como o galpão da Cruz Vermelha Brasileira São Paulo, também recebem doações para o programa. Veja aqui a lista completa de endereços e formas de doar, assim como uma relação dos itens que compõem as cestas básicas e kits de higiene e limpeza.

Outras ações: Cidade de São Paulo distribui 30 mil refeições prontas por dia

No âmbito do programa Cidade Solidária, a Prefeitura também desenvolveu em abril de 2020, por meio da SMDHC, a inovação social Rede Cozinha Cidadã, que já distribuiu à população de rua mais de 2,7 milhões de refeições prontas, em parceria com restaurantes credenciados. Para a distribuição das marmitas, foram escolhidas as regiões da Sé, Mooca, Lapa, Vila Mariana, Santo Amaro, Pinheiros, Santana e Vila Leopoldina, com base no Censo PopRua 2019.

Cidade Solidária: parceria da Prefeitura com a APAS entra em operação e 102 supermercados da capital passam a receber doações para o programa

O Rede Cozinha Cidadã também visa a retomada da dinâmica de restaurantes que correm o risco de fechar as portas, com limitação de funcionamento ou pela diminuição de pessoas, proporcionando a manutenção da cadeia produtiva de alimentos. Nesse sentido, foram beneficiados mais de 100 restaurantes nessas condições. O estabelecimento recebe R﹩ 10 por refeição fornecida.

Com o agravamento da pandemia, no dia 30 de março de 2021, o prefeito Bruno Covas anunciou a ampliação do Rede Cozinha Cidadã de 7,5 para 10 mil marmitas distribuídas diariamente, com distribuição atendendo também as regiões do Aricanduva, São Mateus, Penha e Casa Verde. Além disso, também foi anunciada a criação do Rede Cozinha Cidadã Comunidades, que expande a inovação social para atender 35 comunidades que possuem alto índice de vulnerabilidade no município, distribuindo cerca de 20 mil marmitas diariamente para assistir essa população.

Ainda no escopo do Cidade Solidária, o prefeito Bruno Covas lançou na mesma data a plataforma Sampa+Solidária. A ferramenta de auxílio à gestão social, além de mapear os locais em que a sociedade desenvolve ações de solidariedade, como a distribuição de refeições prontas como marmitas e lanches, é ponto focal para cadastramento de ações sociais levadas a cabo por pessoas físicas, grupos e entidades civis organizadas que distribuem refeições.

Assim, é possível evitar desperdício de alimentos ou distribuições duplicadas, e ainda reforçar com insumos estatais como copos de água, por exemplo, ações filantrópicas de entidades independentes. A plataforma está disponível no link abaixo: http://sampamaissolidaria.prefeitura.sp.gov.br

Cidade Solidária: parceria da Prefeitura com a APAS entra em operação e 102 supermercados da capital passam a receber doações para o programa

CAMI - Live América Indígena: Identidades e Resistências

Publicidade

Deixe um comentário