No exterior são mais de 8 mil peruanos infectados e 221 falecidos pela Covid-19

Vítimas longe de casa. A maioria dos casos foi relatada na Itália, Espanha, Estados Unidos e Argentina. Há até diplomatas entre as vítimas, informou a chancelaria peruana.

Publicado em
No exterior são mais de 8 mil peruanos infectados e 221 falecidos pela Covid-19

A pandemia veio quando eles estavam forjando seu futuro longe da terra onde nasceram. De março a dezembro de 2020, mais de 8.000 peruanos que viviam no exterior foram infectados com Covid-19 e 221 deles morreram devido à devastação desse vírus perigoso.

Este é o relatório que o diretor-geral das Comunidades Peruanas no Exterior e Assuntos Consulares, Vitaliano Gallardo Valencia, fez ontem perante a Comissão de Relações Exteriores do Congresso.

Ele especificou que todos esses infectados fazem parte dos 3 milhões de 165 mil peruanos que vivem no exterior, segundo as estatísticas de migração.

O diplomata disse ainda que a maioria dos falecidos são oriundos da população vulnerável (idosos ou com doenças pré-existentes). “44% dos peruanos que vivem no exterior têm entre 36 e 55 anos. Além disso, grande parte da população idosa está nos Estados Unidos ”, disse.

Assim, de acordo com o relatório, os países com mais casos e mortes de peruanos pela Covid-19 são Itália, Espanha, Estados Unidos e Argentina. Deve-se notar que essas nações abrigam o maior número de compatriotas.

Dois casos especiais são observados nos países localizados na Europa, que hoje sustentam uma terceira onda do novo coronavírus.

Por exemplo, a Itália tem o maior número de peruanos infectados (7.019) e falecidos (88), especialmente em Roma, Milão, Gênova e Florença.

É seguido pela Espanha, com 157 casos e 52 mortes, principalmente em Barcelona, ​​Madrid, Bilbao, Sevilha e Valência.

“Os escritórios consulares sofreram com a pandemia, já que a equipe foi afetada pela Covid-19, apesar dos protocolos. Faleceu há poucos dias Roberto Arribasplata, que até dezembro era cônsul geral do Peru em Madrid. Enquanto isso, Alberto Farje, que hoje está no cargo, acaba de superar a doença ”, explicou.

Outros problemas

Segundo o Embaixador Vitaliano Gallardo, não só as mortes impactaram a comunidade peruana no exterior; também há desemprego.

“Muitos perderam seus empregos. Em alguns países, eles deram títulos ou reembolsaram dinheiro de seguro semelhante às AFPs; em outros, não, e aí os compatriotas tiveram de retornar. Isso foi agravado porque a população migrante não tem plano de saúde porque está em condições irregulares ”, disse.

Por isso, desde março, 44.000 peruanos foram repatriados por meio de voos especiais.

Por outro lado, o diplomata destacou que vem se coordenando com o Escritório Nacional de Processos Eleitorais (ONPE) para que plataformas de informática sejam implementadas nas próximas eleições, em abril. “Deve-se evitar a votação face a face”, concluiu.

No exterior são mais de 8 mil peruanos infectados e 221 falecidos pela Covid-19

fonte: larepublica.pe

Publicidade
Publicidade

Deixe um comentário