O artista Raul Zito desvenda o gene "afro" da identidad Latino-americana na Lapa em São Paulo

Lançamento de exposição-intervenção sobre as manifestações culturais afro-mestiças na América Latina e rodas de conversa no Tendal da Lapa. Exibição no bairro da zona oeste contará com 12 fotos expostas no muro externo do Centro Cultural Tendal da Lapa reforçando a arte feita para o espaço público.

Publicado em

Produzido ao longo do segundo semestre de 2018, a exposição Gèlède - PanAfroAmerica é resultado de uma 'fotoperformance' feita em lugares simbólicos da Cidade do México. A partir de uma investigação acerca das manifestações de máscaras afroamericana, o artista visual brasileiro Raul Zito em parceria com a artista corporal mexicana Toztli Abril de Dios intervém no espaço público.

A exposição-intervenção pretende apagar as fronteiras entre países latino-americanos através do eixo matriz: ÁFRICA. Imaginando uma "panAFROamerica" o trabalho artístico de Raul Zito leva a percepção de um território simbólico, onde a descoberta do gene "afro" está na corporalidade e demais traços culturais que definem a identidade da América Latina.

A exposição-intervenção tem o apoio da Prefeitura do Município de São Paulo, através da Secretaria Municipal de Cultura e do Centro Cultural Tendal da Lapa. "Este projeto também procura contribuir para a visibilidade e valorização das manifestações culturais de afrodescendência na América Latina e de alguma maneira abrir canais de comunicação entre populações diversas, além de promover o potente processo atual de construção e reconstrução de identidades", afirma Raul Zito. Para tanto, serão realizadas duas mesas de diálogo entre artistas criadores (as) da linguagem fotográfica, intervenção urbana e também pensadores (as) das artes sociológicas contemporâneas.

Além disso, serão realizados agendamentos com instituições de ensino onde alunos e educadores terão contato direto com os realizadores da exposição numa espécie de visitação com a presença do autor. A ideia é debater com os participantes as artes com princípios decoloniais. Em Maio haverá duas rodas de conversa com realizadores e convidados, a fim de abrir ao público discussões acerca da temática da exposição.

Na Lapa, a criatividade gerando encontros espontâneos

Ao buscar compreender o eixo matriz África, o projeto Gèlèdes – PanAfroAmerica propõe a descolonização do corpo. Um corpo afro-latino que não obedece a um estereótipo: nem branco, nem negro, nem indígena - mas todos. Desse interesse surgiu a investigação das manifestações culturais afro-mestiças que envolvem o uso de máscaras, uma vez que elas estão intimamente relacionadas ao movimento, e permitem que aqueles que as usam acessem dinâmicas lúdicas que, sem dúvida, revelam o poder de uma ancestralidade oculta resistente através dos séculos.

De antemão, este projeto pretende dar forma a uma espécie de cartografia do uso de máscaras na América diaspórica. Juntamente com a rítmica e tambores, são as danças que envolvem a máscara um dos elos culturais mais importantes das nações da América Latina, portanto vemos na máscara um símbolo de identidade 'panAFROmericano'.

A apresentação desta série fotográfica segue a linguagem artística do autor Raul Zito, que há 11 anos adota o conceito de "fotografia expandida". Raul busca em suas pesquisas realiza uma ampliação das possibilidades da imagem. Para Gèlèdes – PanAfroAmerica as fotos estarão expostas diretamente nas paredes do Centro Cultural Tendal da Lapa medindo 3x4 metros cada uma, criando diálogo com os transeuntes da Rua Guaicurus - via de grande movimentação. Outras duas imagens estarão na entrada do espaço e medirão 5x5 metros.

SERVIÇO:
Início da exposição-intervenção Gèlèdes – PanAfroAmerica
Por Raul Zito e Toztli Abril de Dios / Produção: Mirrah Iañez
Quando: de 18 de abril à 18 de agosto de 2019
Onde: Centro Cultural Tendal da Lapa
Endereço: Rua Guaicurus, 1100/ Rua Constança, 72 - Lapa CEP 05033-002.
Sem limite de horário

 

2 Comentários

juan cusicanki
juan cusicankiDIA 26.04.19 04h51

sempre e bom quando a arte ultrapassa as fronteiras do cotidiano !

Deixe um comentário