Refugiados visitam Escola Municipal de São Paulo

A visita teve como objetivo trabalhar conteúdos históricos atuais, em uma atividade interdisciplinar

Publicado em
Refugiados visitam Escola Municipal de São Paulo

Publicado em: 06/11/2019 6h46
Atualizado em: 06/11/2019

Após um curso de formação com o tema Imigração aplicado para os educadores na Diretoria Regional de Educação Ipiranga, a Escola Municipal de Ensino Fundamental General Osório recebeu a visita de três refugiados. A ideia partiu da Professora de Artes Mirela Valverde, que trabalhou com os alunos do Fundamental II os conteúdos históricos atuais em uma atividade interdisciplinar, com o objetivo de mostrar a empatia e esclarecimentos dos motivos dos refúgios, colocando um fim na xenofobia. Em uma roda de conversa, os visitantes contaram e responderam as perguntas das crianças sobre o assunto.

A primeira convidada foi Prudence Kalambay, em Maio de 2019. Refugiada da República Democrática do Congo, contou aos alunos a riqueza de seu país e a perseguição política que a obrigou fugir com sua filha pequena. Prudence relatou que primeiro foi a pé até Angola, e depois veio para o Brasil. Além disso, a convidada explicou que as novelas brasileiras sempre á encantou, por isso escolheu nosso país como refugio.

Atualmente no Brasil há 11 anos, Prudence trabalha como modelo e participa de diversos eventos. A refugiada foi premiada com o destaque de mulher negra 2019, no Museu Afro Brasil, além de participações na abertura da novela Órfãos da Terra, revistas e entrevistas. Na visita, Prudence também ensinou aos alunos uma dança congolesa.

O segundo convidado foi Abdulbaset Jarour no dia 10 de Outubro, refugiado da Síria que fugiu da guerra do país.  No Brasil há 5 anos, relatou aos alunos que a língua e as diferenças culturais foram as grandes barreiras iniciais, além de vir sozinho e se encontrar com sua mãe e irmã apenas neste ano.

Hoje Abdulbaset promove a Copa dos Refugiados no Brasil, que acontece em vários estados junto com a ONG África do Coração, que auxilia na integração dos refugiados de diversas partes do mundo que estão no Brasil. Na visita de Abdu, os alunos aprenderam a saudar em árabe: “Salaam alaikum”, acenando com bandeiras da Síria, e também a dança Dabke, tradicional do País.

Já no dia 17 de Outubro, na Reunião Pedagógica os educadores receberam a visita de Yilmay Perdomo, refugiada da Venezuela que está há 3 anos no Brasil. Yilmay  contou sua história, os motivos políticos, de segurança e econômicos, que a obrigaram a sair de seu país, junto com marido e filhos. A refugiada teve que se reinventar, por dificuldades de validação do diploma, e hoje trabalha com a culinária da Venezuela.

A professora de Artes Mirela Valverde, esteve em ambas as atividade e conta que todos se sensibilizaram com os relatos. “A presença dos refugiados foi marcante para os alunos e educadores, muitos se emocionaram, não seguraram as lágrimas ao ouvirem as histórias”.

fonte: educacao.sme.prefeitura.sp.gov.br

Deixe um comentário