Como Reconhecer 5 Sinais de Violência Infantil: Fique Atento a Estes Indicadores

Especialista dá dicas de como identificar o comportamento diante de violações de direitos e abusos.

Publicado em
Como Reconhecer 5 Sinais de Violência Infantil: Fique Atento a Estes Indicadores

Publicado em 19/05/24 às 22:24h

O dia 18 de maio é marcado como o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. A data trata de uma realidade que impacta diretamente os Brasileiros. Segundo dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2023, o número de registros de abusos em 2022 foi de 73.024 mil, dos quais 51.971 contra menores de 18 anos. Em 61,4% de todos os casos registrados, a vítima tinha menos de 14 anos. Diante de tantos desafios é preciso nos questionarmos sobre como é possível promover a defesa e promoção dos direitos e identificar sinais dos diversos tipos de violência.

Para Thaiana Rosa do Nascimento Freitas, Assistente Social do Marista Escola Social Ir. Justino, é importante alertar sobre os sinais de violência e debater sobre as ferramentas que a sociedade tem para prevenção. “É necessário um trabalho de prevenção, escuta, e diálogo com as crianças, adolescentes e com toda sociedade, na perspectiva de promover uma maior defesa dos direitos. 

900x300-CASCAOSegundo a Assistente Social os tipos de violência podem ser categorizados em física, psicológica, sexual e institucional, em que todas as crianças e adolescentes têm seus direitos negligenciados. “Muitos comportamentos estão diretamente ligados à violação da defesa dos direitos, os sinais acontecem dentro de casa e também na escola, que é um ambiente seguro e deve seguir como um espaço de conscientização sobre o tema.  

Projetos reforçam a importância do debate: Caminhada na Zona Leste de São Paulo.

A escola, como espaço de escuta e acolhimento, promove reflexões com os alunos sobre a importância e a defesa dos direitos. No Marista Escola Social Ir Justino, que atende crianças e adolescentes gratuitamente na Zona Leste de São Paulo (SP), os alunos e a comunidade são engajados a debaterem sobre o tema. “Nesse sentido devemos oferecer a maior quantidade de informações, para que as famílias e os responsáveis possam fortalecer seus filhos, por meio da escuta e do acolhimento, assim toda comunidade escolar e a rede de apoio estão alinhadas em atividades que ensinem, debatam e promovam a defesa dos direitos”, reforça.

No próximo dia 21 de maio, a unidade realizará a 1º Caminhada contra a exploração sexual de crianças e adolescentes. A iniciativa vai promover a integração da Escola Social com a rede socioassistencial dos bairros União de Vila Nova e Jd Lapenna, durante todo o trajeto, pontos de parada vão emitir os principais pontos sobre o tema. O evento inicia às 14h. “O objetivo da caminhada é buscar conscientizar e chamar toda a sociedade para um debate importante e necessário nos dias atuais”. 

Para a especialista, toda a rede de apoio da criança e do adolescente pode identificar sinais de possíveis violações dos direitos. Confira as dicas:

Mudanças de comportamento 

Desde o rendimento escolar, até o isolamento, ansiedade ou alterações no sono ou na alimentação são fatores que devem ser olhados com cuidado pelos responsáveis e por toda família. 

Comportamentos repentinos

Se a criança ou adolescente retorna hábitos e comportamentos que já tinha abandonado anteriormente, pode ser um dos sinais para observação. “Com a pandemia, é importante olhar para as relações sociais. Muito desse cuidado pode estar ligado com a forma como age na frente das telas e computadores, todas as características devem ser observadas em conjunto com outros fatores'', reforça Michele.

O silêncio na rotina

Em casos relacionados aos diversos tipos de violência crianças e adolescentes podem se sentir ameaçados, por isso, o silêncio pode ser uma característica do comportamento. 

Sinais físicos

Em caso de violência física, além dos sinais visíveis, podem aparecer também sintomas como dores na cabeça, enjoos e dificuldades digestivas, por exemplo. 

Aprendizagem

Baixo rendimento, dificuldade de concentração, pouca participação nas atividades escolares. “Todos esses sinais podem ser observados, e essa rede de apoio pode identificar e oferecer o suporte e também empoderar as crianças e adolescentes para serem cada vez mais defensores dos seus direitos”, reforça.

Serviço:

1º Caminhada contra a exploração sexual de crianças e adolescentes
Local:
Rua Catléias, 50 - Jardim Nair
Horário:
14h
Data:
21 de maio

fonte - pg1com.com

VEJA TAMÉM
AMIGA GUIA

Deixe um comentário

Dúvidas? Pergunte aqui.