Rebeca Andrade, ginasta medalha de prata nas Olimpíadas de Tóquio, começou carreira em projeto social de Guarulhos

'Daianinha de Guarulhos', como ficou conhecida em referência a Daiane dos Santos, vencedora de nove medalhas de ouro em campeonatos mundiais, fez história nesta quinta-feira (29), em Tóquio. Ela treinou por 5 anos em projeto social de iniciação ao esporte no Ginásio Bonifácio Cardoso.

Publicado em
Rebeca Andrade, ginasta medalha de prata nas Olimpíadas de Tóquio, começou carreira em projeto social de Guarulhos

Por Deslange Paiva e Vivian Reis, G1 SP — São Paulo
29/07/2021 05h01 Atualizado há 32 minutos

A ginasta Rebeca Andrade, de 22 anos, que fez história nesta quinta-feira (29) ao levar uma medalha de prata nas Olimpíadas de Tóquio, iniciou a carreira no projeto social Iniciação Esportiva, da Prefeitura de Guarulhos, na Grande São Paulo. Lá, ela ganhou o apelido de "Daianinha de Guarulhos", em referência a Daiane dos Santos, vencedora de nove medalhas de ouro em campeonatos mundiais no solo entre 2003 e 2006.
Rebeca conquistou vaga em três finais, incluindo a do solo, em que se apresenta ao som do funk "Baile de favela". Nesta manhã, ela se tornou a primeira brasileira medalhista olímpica na categoria, na final do individual geral.

Rebeca Andrade, ginasta medalha de prata nas Olimpíadas de Tóquio, começou carreira em projeto social de Guarulhos
Rebeca com a medalha de prata — Foto: Reprodução/Globo

nota completa aqui

fonte: g1.globo.com

CAMI - Live América Indígena: Identidades e Resistências

Publicidade

Deixe um comentário